Mudar.

Digo todos os dias que serei mais calma. Que começarei a fazer academia e a desenhar pelo menos uma hora por dia, todo o santo dia. Também prometo parar de beber refrigerante, assistir menos Big Brother e ler, ainda mais, sobre cada assunto desse mundo que me interessa. Digo que preciso deixar de ficar tanto tempo na frente do computador, que vou me dedicar àquilo que tenho muita dificuldade até conseguir, treinando a persistência. Também penso em tomar sol, comprar aqueles pães de nove grãos e abolir o Mcdonald’s de vez. Esse item é difícil. Falo que vou ser mais discreta, contida, observadora e falar ZERO palavrões. Tento também não deixar meus sapatos jogados, manter as gavetas arrumadas e minha cama sempre feita. Ao cachorro falo que vou levá-lo para nadar, esse nunca viu o mar. E pelo menos 15 minutos de liberdade diárias eu deveria dar ao passarinho que cansou da gaiola faz meses. À minha mãe prometo sempre acordar cedo e a meu pai parar de roubar seus desodorantes cheirosíssimos: perco os meus pela casa toda hora. Não queria dormir muito tarde. Não queria ser tão estressadinha. Não queria não gostar de jiló, bife de fígado e frango ensopado. Queria querer menos coisas também, tenho certeza que é culpa da ansiedade. Agora aqui, pensando bem, será que nascer de novo seria mau negócio? Posso tentar.

Você também pode ler

1 comentário

  1. NAO! NAO! pra que? a transformação é a melhor parte dessa nossa jornada ericka! TRANSFORME-SE. Com moderação, óbvio. Porque muitas características que vc listou aí, te fazem A ERICKA. Especial.
    saudades! bjsss

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *