meu jeitinho.

Sou drástica e tenho a capacidade de prever eventos. Me irrito facilmente com coisas que pessoa alguma repara acontecer. Me ofendo rapidamente. Me canso de determinados comportamentos e de atitudes que niguém julga importantes, exceto eu. E ai de quem disser que estou aborrecida por coisa irrelevante; viro bicho e mordo um. Sou meio infantil também. A princípio finjo que tudo está resolvido e tento me convencer de que de fato está e daí vem mais uma série de micro decepções cumulativas e eu explodo novamente. E todos os sentimentos de que as coisas não vão dar certo, porque eu acho mesmo que consigo prever caminhos, retornam dentro de mim e me deixam aborrecida em dobro. Me entender é uma questão difícil e demanda tempo, convivência, paciência e também disposição da minha parte. Se eu não estiver disposta a me fazer ser compreendida, não adianta nem tentar. Não sou fácil, não sou santa, não sou calma e como o resto das pessoas na terra, não mudo. Me adapto torcendo os lábios e batendo o pé, mas não mudo. E pra você me conhecer deve me ouvir e eu devo perceber que você tem real interesse em me ouvir e não encara isso como obrigação. Num dá pra dizer que me escuta e olhar pra janela, cantar música, ficar com aquele olhar de “aham”. Tenho desejos psicopatas quando alguém faz isso. Eu sou bem desequilibrada e digo isso até para desconhecidos no ponto de ônibus. Vamos combinar que também nem preciso dizer coisa alguma, é perceptível. Gente mais ou menos me cansa, gente normal me cansa, quase todos os tipos de gente me cansam. Tô com aquela vontade de mandar tudo à merda, mas tô me controlando. Ou pelo menos, tentando fingir que nada está me atingindo na proporção que está. E se você que está lendo esse texto está me achando exigente e pensando aí “coitada, se continuar assim, vai morrer sozinha”, que seja. Morro sozinha, mas não morro infeliz acompanhada.

Preciso dormir e me obrigar a não pensar.

Você também pode ler

2 Comentários

  1. “E ai de quem disser que estou aborrecida por coisa irrelevante; viro bicho e mordo um”. Com o perdão da expressão, pimenta no cu dos outros é refresco, né?! Povo sempre dá pitaco na tua vida, super fácil falar o que é certo ou errado quando não é com a gente, né?! Sou que nem vc: se nego vem diminuir ou menosprezar o que eu sinto, solto fumacinha pela orelha!

    Nossa, coisa que mais me irrita é tu fazer um comentário e a pessoa ficar muda, aí vc reclama e nego fala “ai, mas eu ouvi o que vc disse”. Então interage, cara, tão difícil fazer isso?

    Ai, me aproveitei do seu post pra desabafar também, tudo bem? 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *