eternamente jovens.

Contrariando teorias, a maturidade não vem com o tempo.

Tento entender se a ingenuidade das mulheres tem a ver com homens dissimulados, cada vez mais convincentes, ou se elas não enxergam as evidencias porque preferem não ver.

Pelo jeito, a capacidade de analisar relacionamentos de nada tem a ver com a quilometragem rodada. Há mulheres de 47 anos tão ingênuas quanto eu, aos 13. Sei de casos em que a mulher com 3 filhos, casamento aparentemente modelo, marido presente e tudo o mais foi traída durante 7 anos e só descobriu a façanha do envolvido ano passado. Magoada, ficou tão chocada que achou melhor não se separar. “Ele pelo menos é homem de verdade de manter 2 mulheres no conforto e nenhuma delas desconfiar.” PODE ISSO?

Fico pensando se no lugar dela não faria igual.

Uma amiga da minha mãe namorou 15 anos e nunca casou. Até que em um mês, em que eles brigaram e se separaram, ele resolveu viajar pra Londres e “se apaixonou loucamente” pela comissária de bordo. Colocou uma aliança no dedo da mulher em um mês, mudou-se para Fortaleza e nunca mais voltou.

Sei também de histórias que se espalham fortemente pela vizinhança, fulana namorou 10 anos, separou,  aí o dito cujo namorou 4 outros anos com outra, separou dessa, voltou pra primeira, separou de novo, voltou pra segunda, ambas descobriram que eram traídas, se uniram, ele largou as 3 e arranjou uma quarta, e, segundo fontes, permanece firme e forte com essa até hoje. Onde está o erro? Nelas ou nele? As 3 mulheres ainda choram pelo traidor mor, como se ele fosse o único homem na face da terra.

Não faz sentido.

Os medos emburrecem as pessoas mais que os sentimentos verdadeiros. É melhor ficar ao lado de um homem lixo que ser sozinha, que aguentar o tranco de uma vida já não tão jovem por si mesma, que procurar outro namorado, que ter dignidade, orgulho próprio, que admitir que escolheu mal, que conviver com a incerteza de ter alguém para chamar de seu para o resto da vida. Porque esse também é um ponto: podemos encontrar ou não essa pessoa. Mas unidas à uma erva daninha não tem nem como ir à luta.

A verdade é que as mulheres, uma hora, cansam de procurar. De tanto se decepcionarem aceitam apanhar do marido, aceitam dividí-lo com 3 ou 4 amantes, aceitam migalhas. Ou vocês já viram algum homem de 55 anos barrigudo, careca, feio e pobre sem mulher? Desesperado para casar? O que vejo com cada vez mais frequência são mulheres lindíssimas, bem sucedidas e inteligentes pelas pistas, como se acabassem de sair da puberdade, de vestidinho curto e agindo com vulgaridade, achando que ser moderna é isso. Ou pior, unindo-se a trastes, sem coragem de pedir alforria de uma prisão que elas mesmas detém a chave.

Quanto menos somos exigentes, mais eles se tornam acomodados. E quanto mais damos créditos a homens traidores, menos coerência temos naquilo que tanto questionamos sobre o comportamento deles.

No mundo masculino não existe o medo de solidão. Não há a síndrome do “ficar pra titio”, divórcio não é traumático pro resto da vida, não é da barriga deles que nascem os filhos. Pensão nem é mais um drama épico; até nisso o mundo é injusto, os salários deles ainda são mas gordos que os nossos.

Nós mulheres precisamos entender que devemos amar a nós mesmas antes do mundo inteiro, antes dos nossos pais, filhos, trabalho, casa e maridos de má qualidade. Pode parecer feminista, mas é tão duro ver que aos 55 anos é possível sofrermos decepções típicas da adolescência e ainda com maior profundidade por simples demência tardia e medo de fracassar…

E eu sei, falar é fácil. Mas umas palavras que cutucam às vezes fazem efeito.

Você também pode ler

2 Comentários

  1. Vou te dizer que tem mulher que com bem menos idade já se acomoda porque pensa que não vai encontrar ninguém melhor, viu?
    Contos de fadas não existem, e é por acreditar neles que [nós, mulheres em geral] estamos como estamos. Uma pena.

    Beijos, amo!

  2. Não só os medos emburrecem. Eu acho que o amor emburrece horrores!

    “E quanto mais damos créditos a homens traidores, menos coerência temos naquilo que tanto questionamos sobre o comportamento deles”. – PERFEITO. Falou e disse tudo.

    E sim, a vida masculina nesse sentido (e em tantos outros) é infinitamente mais simples que a nossa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *