estive pensando…

Desde quando eu cursava jornalismo havia essa necessidade de estar atualizada o tempo inteiro, mesmo sem tempo para qualquer coisa além do estritamente necessário para a sobrevivência.

Tem que saber sobre os esmaltes e sobre a USP, tem que saber dos últimos lançamentos da Apple e entender de color block, do câncer do Lula, da greve dos correios e da sonegação fiscal. Não importa produzir um conteúdo de qualidade, que passou por algum processo de reflexão para ser publicado, o que importa é a VELOCIDADE com a qual você produz tal conteúdo, seja ele relevante ou não. Aliás, mais importante que isso é consumir todo e qualquer conteúdo que vier pra não ficar “alienada”, por fora, uma “outsider internética” e coisa e tal.

Me diz, quem consome tanta informação e ainda tem vida depois disso? Entro diariamente em uns 25 sites amigos e não passo nem meia hora em cada um. Dou uma olhada nas figuras, não consigo nem COMENTAR, na maioria das vezes, sobre os temas que eu acho mais interessantes por dois principais motivos: 1 – no tempo que eu comento eu poderia estar lendo MAIS conteúdo de forma “express” e 2 – há tanta informação repetida que me dá preguiça. SÉRIO MESMO.

Coisa triste é receber e-mail marketing de site de compras que você nem fez cadastro, tweet pra angariar comentários, apelo com sorteio, reza braba e macumba forte pra aumentar o número de views nas páginas e mais páginas de blogs novos que pipocam a cada SEGUNDO.

Vamos parar com isso, pessoal.

Uma coisa que eu aprendi com as mídias sociais é que não importa quão grande seja a sua divulgação se você não tem um bom CONTEÚDO. Mais importante que ser visto é ser LEMBRADO. E isso pode se aplicar a todos os aspectos da nossa vida.

E sabe de uma coisa? Cansei de sofrer pelos lugares que eu não posso estar, pelos eventos que eu não tenho tempo de ir, pelos esmaltes, bolsas, sapatos, acessórios e blá blá blá que eu não posso comprar.

Se é SÓ ISSO que é ter um blog de sucesso, prefiro continuar no anonimato. E ajudando meus leitores com cada caso de amor mal resolvido que eu recebo por e-mail…

Você também pode ler

3 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *