Como chegar?

eu-e-martinha

Acabei de receber a ligação da minha melhor amiga dizendo que passou no processo seletivo que tanto desejava; dei pulos de alegria. Em primeiro lugar porque depois de quatro anos morando em cidades distintas voltaremos a nos encontrar com uma certa frequência e em segundo porque não existe nada melhor do que realizar sonhos. Essa amiga também ficou noiva recentemente, então 2008 não poderia ser um ano melhor para ela.

Quando o final de ano se aproxima eu me torno mais reflexiva. O espírito de Natal toma conta de mim, mas mais ainda o de ano novo. É até meio loucura achar que a partir da meia noite do dia 31 existe uma nova vida, cheia de oportunidades e tempo para as coisas não concretizadas nos anos passados… É bom ter esperança nas coisas, mesmo que um esperança falsa, efêmera. Quando a gente não sabe direito como caminhar para o emprego dos sonhos, para a viagem ao exterior, para a carta de motorista e tantos outros pequenos sonhos que no fundo, no fundo trazem uma realização do tamanho do mundo a gente se sente meio impotente, meio perdida. Nem lembro mais o gosto de boas expectativas, seria pessimismo da minha parte sentir um vazio-pré-formatura?

Você também pode ler

1 comentário

  1. Seria cansaço. Eu sei, porque eu sinto a mesma coisa que vc. Dói a cabeça, o corpo e os membros e ao mesmo tempo que um ímpeto de grande vontade de fazer as coisas nos atinja, uma onda de preguiça nos mantém deitadas na cama esperando 2008 acabar. E ele VAI acabar. E a gente VAI realizar os nossos sonhos. Pode acreditar! =)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *