a velha discussão.

Sua vó casou com 16 anos com um cara de 30. Não sei se eles se amavam de verdade ou se foram obrigados a conviver ao longo dos anos, mas o objetivo dos casamentos lá na década de 50 talvez não fossem tão poéticos mesmo; tinham mais a ver com status e família que com sentimento.

Embora os anos tenham passado e as mulheres, hoje, possam se envolver com quem quer que se interessem, há a possibilidade, em pleno século XXI, de se casar sem ser por amor. Já falei disso algumas vezes aqui no Hiper e esse nem é o tópico desse post, mas se podemos, afinal, escolher nossos parceiros, casar 5 vezes em menos de um ano, separar e ter filhos desses relacionamentos, por que esse tabu permanente quanto à compatibilidade etária de um casal?

Vou tentar explicar.

Sou à favor do amor verdadeiro, mas vivemos em sociedade. Somos julgados o tempo inteiro por aquilo que vestimos, comemos, escutamos e como acreditamos nisso ou naquilo, não tem jeito. Quando uma menina de 16 anos se envolve com um sujeito de 30, começam as especulações quanto aos interesses do cabra, visto que ambos estão em fases DIFERENTES na vida. Não significa que não se amem, que não tenham assunto ou que não saibam lidar com a pressão social. Mas a verdade é que ou ele começa a se adaptar aos amigos dela, que ainda estão no colegial, discutindo a viagem de formatura, ou ela é obrigada a amadurecer cedo, a saber sobre o mercado de trabalho e outras coisas que talvez ainda não seja a hora de se preocupar. Por que? Porque é isso que fazemos quando gostamos de alguém: tentamos nos adaptar.

E não é que seja errado, é que não funciona por muito tempo. Ainda que sejam 20 anos, uma hora, azeda. Ninguém consegue pular etapas, é como aprender a andar e querer ser campeão de atletismo em seguida. Quando falamos de pessoas da mesma idade, pensamento e rotina os relacionamentos já são complexos, que dirá quando as faixas etárias são tão discrepantes. Não digo que não pode existir e que não pode dar certo, nada é impossível. Mas já afirmo, sem sombra de dúvida, que será muito mais difícil que o normal, ainda que prever riscos seja a última coisa que os apaixonados fazem.

O amor não tem mesmo idade, sinceramente. Mas tem motivos bastante reais que fazem, inevitavelmente, com que ele vá embora.

Você também pode ler

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *