OBRIGADA!

Sempre recebo e-mails incríveis dos meus leitores aqui pelo Consultório. Embora às vezes não responda a todos os comentários que chegam via post (porque nunca tenho certeza se quem comentou vai vir até aqui ler a minha réplica!!) estou sempre de olho no que vocês dizem, respondendo cada depoimento, história, mensagem, e enchendo o coração de amor com cada coisinha que chega na minha caixa de entrada!

<3

A vocês que se identificam com os textos, que buscam, verdadeiramente, os meus malucos conselhos, que começaram um blog inspirados pelo Hiper, que desejam manter contato, que riem das histórias, das ideias, ou, simplesmente, discordam de todas as coisas que eu digo por aqui (vivemos, afinal, num país livre), OBRIGADA!

É muito bacana saber que tem alguém do outro lado do mundo (alô Márcia Ramos, que me mandou uma história LITERALMENTE da China!!) que está disposto a perder um pouquinho de tempo da própria vida para ler o que eu, uma jornalistazinha paulistana qualquer, tem a dizer!

Vocês são uns lindos!

E desde já muito amor, paz, saúde e excelentes realizações em 2014! Que venham muitas coisas para contar por aqui!

Um beijão!

Continue Lendo

aos leitores.

O meu maior desafio ao escrever sobre relacionamentos é fazer com que as pessoas leiam. Que queiram, de fato, saber sobre aquilo que tanto perguntam.

Ler sobre relacionamentos é admitir que você talvez precise disso. Que é necessário parar vez ou outra para fazer uma análise da própria vida. Que as coisas não se dão sem um por que, seja a culpa sua ou do outro e que nem tudo é sorte. O maior problema em saber demais sobre o ser humano é reconhecer-se nas situações descritas, nos dramas e anseios, mas é também, perceber que tudo acontece da mesma forma (só que diferente) na vida das outras pessoas. Não nascemos para ficar sós e digo isso no sentido amplo da coisa, não no quesito romântico.

Eu sei que pensar cansa, penso muito sobre isso. Mas se tem uma coisa que nos difere de todos os outros seres vivos é a nossa capacidade de análise, não só de fazer contas exatas ou de utilizar fórmulas prontas para solucionar os problemas, sempre tão peculiares; temos o dom de nos adaptar às circunstâncias da vida, porque não utilizar isso?

Cada um cultiva demônios, fraquezas e uma série de pontos que desejamos deixar lá, bem escondidos; é muito mais fácil que encarar. Meu desejo é que assim como escrever, para mim, seja sempre terapêutico, para vocês, ler torne-se confortante.

E que eu aprenda muito mais por tentar saber que por continuar lamentando sobre todas as coisas.

Continue Lendo

Perguntas dos leitores – parte 01

Tenho recebido ultimamente muito mais e-mails perguntando coisas sobre a minha vida pessoal que problemas amorosos pra resolver! Pelo jeito anda todo mundo bem resolvido, hein? Fico feliz por vocês!

Notei que algumas perguntas se repetem e responder individualmente a cada dúvida vai me tomar um tempo que eu já não tenho nesse finalzinho de semestre alucinado na faculdade…Vou tentar responder aos pouquinhos nessa nova seção, okay? Prometo ser rápida!

Vamos lá…

1) Você ganha dinheiro com o blog? Por que perde tempo com isso?

Não, pessoal. Infelizmente não ganho dinheiro nenhum com o blog (mas se você estiver interessado em anunciar por aqui entre em contato!) Gosto de ajudar as pessoas e de escrever sobre elas, sobre mim, sobre coisas que eu vejo acontecer. Acho que é por isso que mantenho o blog, não acho perda de tempo!

2) Foi você quem criou o Chá com Blogueiras?

Sim e não. O Chá com Blogueiras é uma parceria com as amigas e sócias Amanda Serra e Camila Marques e é apenas um espaço para confraternização real das amizades que acabam se formando no círculo virtual. Além de divulgar algumas empresas parceiras, comer muita coisa gostosa e  criar uma rede de contatos e pessoas antenadas sobre diferentes assuntos!

3) Você namora? Ele é ciumento? Ele lê sobre os seus casos amorosos antigos?

Sim, eu namoro, meu namorado é ciumento e já lia sobre os meus casos antigos quando eramos apenas amigos. Acho que passado é um negócio que não dá pra negar, né? Principalmente quando você registra detalhes por escrito… O blog não atrapalha minha vida pessoal, pelo menos, não esse NOVO blog…

4) Você é formada em psicologia?

Não, sou jornalista e estou estudando Design de Produto, no Mackenzie.

5) Você trabalha?

Trabalho, pessoal. Sou assessora de comunicação em uma ONG chamada Design Possível, já trabalhei na Secretaria Municipal de Habitação de São Paulo, num jornal jurídico como redatora… E por aí vai!

Continue Lendo