o amor é feio.

O amor é egoísta. Tem mais a ver com estar feliz com que fazer o outro feliz. Você não pensa no outro quando não está bem consigo mesmo, não dá. Amor só se dá quando se tem, não dá pra dividir e ficar sem. Se o amor romântico fosse um sentimento tão bonito e altruísta, não haveria casais infelizes. Não haveria traição e ninguém se aborreceria em nenhuma circunstância porque haveria uma aceitação mútua de tudo o que acontecesse. Em absoluto. E mão somos assim.

Doar-se é uma coisa, aceitar tudo o que o outro coloca como verdadeiro é outra. O amor precisa de opinião, tem gênio forte, adora uma diferença. Com jeitinho, claro. Como todos os sentimentos sufoca em excesso, mas morre se for deixado muito de lado, se não houver o mínimo de cuidado. E cuidar não significa aceitar tudo. Não significa concordar com cada linha, não significa não ter uma briguinha aqui ou ali.

Amores de verdade pensam no seu próprio interesse em prol do interesse alheio. Quem sempre satisfaz o outro não aprendeu a amar, aprendeu a ceder. E demoramos um tempão até perceber que quem dá tudo aquilo que tem acaba vazio.

Continue Lendo

desculpas.

O mundo está mesmo mais individualista. As pessoas realmente andam preferindo morar com gatos e cachorros do que dividir a vida com uma outra pessoa, mesmo que não haja nenhum relacionamento implícito nessa união. Os consumidores andam mais egoístas, presenteando menos, a família anda cada vez mais enfraquecida, quase ninguém quer casar e muito menos ter filhos. Ainda assim, com todo esse quadro negativo quanto às relações humanas, há aqueles que temem ficar sós, e que esperam, ansiosos, por alguém que possam passar o resto da vida.

Já disse em muitos textos que o segredo para ter alguém é, antes de mais nada, estar de bem consigo mesmo. Eu sei que isso parece coisa de auto-ajuda, que soa ridículo, mas se você não cuidar de si, do seu trabalho, família, vida e aparência, não estará apto a cuidar de outra pessoa.  Se você não tem conhecimento daquilo que busca, espera e do que pode e deseja oferecer (sem esforços terríveis) fica complicado encontrar alguém; pelo simples fato de que não se sabe o que buscar.

Talvez a cor do cabelo ou a posição social não sejam tão importantes. Talvez não adiante namorar alguém que faça de tudo por você, você não quer um escravo, quer um amor. E quem ama nem sempre faz tudo o que você quer. Talvez você precise parar de insistir nos baladeiros, ou talvez deva começar a sair de balada para encontrar pessoas diferentes das que conheceu. Talvez você tenha que ter 4, 5, 6 relacionamentos porcaria para chegar em um realmemnte bom. Talvez não.

Escuto tantas reclamações sobre namoros e casamentos mal sucedidos e que os seres humanos são complicados, que envolver-se dói e tudo o mais, que me questiono sobre a capacidade de raciocínio das pessoas. Se você não buscar e nem ESCOLHER a pessoa que deseja estar, se você deixa para saber os gostos, hábitos e preferências dessa pessoa DENTRO do relacionamento, você comete uma falha muito grande. Como investir às cegas?

Você não se torna adulto antes de ser adolescente. Não aprende a dirigir antes de falar. E, portanto, não deve relacionar-se com alguém antes de conhecer essa pessoa, de ter amizade, convivência e de ter certeza de que é isso mesmo o que busca. Não é óbvio?

A paixão é traiçoeira. Às vezes estamos sozinhos há tanto tempo que um sorriso basta para que entremos em um relacionamento. Pode ser que dê certo, óbvio, pode ser que você ganhe na loteria também, mas as chances são mínimas. Somos racionais com o nosso dinheiro, com os estudos, com a profissão que escolhemos para seguir, porque não tentamos raciocinar também quando falamos de amor? E perceber que aquilo que vivemos talvez tenha total conexão com as nossas atitudes?

Se você deseja uma vida diferente, um amor diferente, relacionamentos bem sucedidos e saudáveis, mude seus parâmetros. E pare de pensar que o problema está sempre no outro.

A mudança começa de dentro.

Continue Lendo