recadinho sincero.

No final, você admitiu que ela era mesmo louca, problemática. Que mandava em você e te cansava. Que não entendia sua carreira, seu modo de viver e te cobrava por coisas das quais desconhecia. Você percebeu que ela era mesmo chata, cansativa. E assumiu sua parcela de culpa. Mesmo sabendo dos por quês da coisa ter dado errado, mesmo tendo sido avisado, alertado e tomado bronca de todas as pessoas que te amavam você insistiu; e se afogou nas próprias expectativas, na possibilidade de que ela fosse diferente pelo menos com você.

As pessoas não mudam, já te disse mais de uma vez. Elas se moldam às situações que lhe convém. E se não dá certo vão embora e ponto final. Afinal, não é nada difícil partir de onde você  nunca fez parte, daquilo que nunca se teve, sequer, o interesse em participar.

Nem sofrendo você está, tenho certeza. No máximo, se sentindo sozinho. Espero que mais que o seu tempo, seu dinheiro e suas horas de sono ela tenha levado essa ideia besta de querer transformar o outro por amor. Isso não se impõe a ninguém.

E mais ainda: não se cobra.

Espero também que ela vá embora sem deixar vestígios, sem ficar tentando manipular suas emoções ou fazer você ver coisas que nem sequer existem. Que alguma coisa tenha sido aprendida com sua teimosia dessa vez, e que você encontre, muito em breve, alguém que realmente queira fazer parte daquilo que você é, e não daquilo que você inventou.

Estaremos aqui, torcendo e observando. Sempre.

E pode descansar em paz. Uma hora, tudo que nos é guardado, vem.

Você também pode ler

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *