o amor é feio.

O amor é egoísta. Tem mais a ver com estar feliz com que fazer o outro feliz. Você não pensa no outro quando não está bem consigo mesmo, não dá. Amor só se dá quando se tem, não dá pra dividir e ficar sem. Se o amor romântico fosse um sentimento tão bonito e altruísta, não haveria casais infelizes. Não haveria traição e ninguém se aborreceria em nenhuma circunstância porque haveria uma aceitação mútua de tudo o que acontecesse. Em absoluto. E mão somos assim.

Doar-se é uma coisa, aceitar tudo o que o outro coloca como verdadeiro é outra. O amor precisa de opinião, tem gênio forte, adora uma diferença. Com jeitinho, claro. Como todos os sentimentos sufoca em excesso, mas morre se for deixado muito de lado, se não houver o mínimo de cuidado. E cuidar não significa aceitar tudo. Não significa concordar com cada linha, não significa não ter uma briguinha aqui ou ali.

Amores de verdade pensam no seu próprio interesse em prol do interesse alheio. Quem sempre satisfaz o outro não aprendeu a amar, aprendeu a ceder. E demoramos um tempão até perceber que quem dá tudo aquilo que tem acaba vazio.

Você também pode ler

5 Comentários

  1. Ah Ericka, acho q tem vários tipos de “amor”… Mas vc tem razão qndo diz q ceder demais é falta de amor próprio. Só me questiono até q ponto esse amor próprio faz com q a gente se torne incapaz de ceder, nos torna inflexíveis… Tipo, nesse ponto q eu tô! hahaha
    Bjos!

  2. não sei, também penso que existem vários tipos de amor, e feios somos nós. a gente tá aqui pra errar, acertar, errar de novo, aprender de novo. nós não sabemos muito lidar com esse amor que seria, digamos, o ideal, o que está além de nós e nossos defeitos. esse amor seria equilíbrio. nem tanto amar a si nem amar demais o outro esquecendo de si próprio; é um aprendizado infinito. esse título me lembrou o nome de uma música dos tribalistas.

  3. Eu pensei na música quando escrevi, Jé! E concordo com o que as duas disse… Mas o amor num é assim tão nobre quanto dizem no sentido dele acarretar uma série de outros sentimentos bastante nocivos na gente… Nessa reflexão, né? HAUHAUHAUHAU… Em outras acabo achando o amor lindo de novo… =]

  4. Eu acredito que o amor não-egoísta exista. Acredito em dedicação, doação, acredito em tudo. Só que é raro, muito raro. Justamente por carecer de tantos sentimentos bons contrários ao que somos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *