a carência de cada dia.

Um amigo reclamou que anda super carente e não sabe mais o que fazer em relação a isso. Ele namora, está feliz, não tem problemas com o relacionamento, mas sente essa necessidade, constante, de atenção. Sermos sempre dependentes de alguém é complicado: ou sufocamos o outro, ou estamos sempre insatisfeitos de estarmos sós. É impossível estar 24hs por dia, 365 dias por ano, com as pessoas que amamos, infelizmente. E pior ainda cobrar que isso ocorra.

A carência tem muito mais a ver com o modo como encaramos a vida e suas circunstâncias que com a falta de atenção do outro ou sua negligência dentro de um relacionamento, apesar de não a enxergarmos dessa forma. Os carentes se sentem tão desconfortáveis a sós que não conseguem entender que o outro tenha trabalho, amigos e uma outra vida, longe dele, ainda que o inclua em todos os programas possíveis.

“Parece que me falta um braço.”

“Não consigo ficar sem saber se ele está bem.”

“Não é carência, é preocupação.”

Se uma dessas frases faz muito sentido na sua vida, está na hora de, mais uma vez, se auto-analisar. Você também tem amigos e trabalho. Também tem problemas, que, certamente, não são poucos. Tem família, hobbies e uma série de coisas que te tomam tempo, que você precisa resolver sozinho. Com o outro tudo fica mais leve? Fica. Mas quem disse que um pouquinho de independência também não faz parte de um relacionamento saudável?
Se não conseguimos suportar nossos próprios dessabores, nosso humor e crises, como exigir que alguém carregue parte desse fardo? Que nem nós mesmos queremos encarar? Amor não é depender de alguém, é saber que quando precisar (muito) vai ter com quem dividir os problemas da vida, mesmo tendo a capacidade de resolvê-los sozinho.

E eu insisto: só dá pra aproveitar aquilo que há de bom na vida quando a gente elimina e conhece bem a parte ruim.
Fica a dica.

Você também pode ler

1 comentário

  1. Ai, amei… antigamente, quando namorava com o meu marido, eu era assim… como ele trabalhava e fazia faculdade, nos viamos apenas de final de semana e eu ficava chorando e fazendo drama. Graças a Deus hoje isso mudou: ele viaja durante a semana e só vem na sexta de madrugada. Acho que tambem vem com o amadurecimento, com as ocupações da casa… Enfim, mais amor proprio: curtir sua propria companhia!

    Beijocas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *