gente de verdade.

Sempre teci teorias acerca dos jogo da sedução. Em qual momento deixamos de ser amigos para nos tornar potenciais amantes de alguém? Como se dá essa história de se apaixonar, envolver-se, amar e coisa e tal? Por que tem gente que simplesmente não consegue mais achar ninguém no mundo interessante o suficiente a ponto de tentar ser feliz de novo?

Acho que tenho sorte nesse quesito porque nunca me faltaram opções interessantes, mesmo que não ideais. Talvez porque nunca me preocupei com isso.

A verdade, como disse o grande Ivan Martins nesse texto que eu concordei na íntegra, é que a pessoa especial é aquela que “extrai o melhor e o pior de mim, faz com que eu me sinta inteiro”, e as pessoas tem uma preguiça enlouquecedora de fazer isso, porque às vezes nunca nem se sentiram assim. O amor é algo que você precisa saber identificar, que se aprende. Você ensina uma criança a fazer carinho, mas em momento nenhum ensina a bater – porque a parte ruim em nós, é maior e bem mais natural que a boa.

Talvez seja culpa do mundo moderno, que nos dá cada vez mais trabalho, menos tempo, diversão e nos faz egoístas, ou, talvez, o que todo mundo tenha mesmo é falta de saco. E de oportunidade.

Não dá pra encontrar uma pessoa especial em qualquer lugar, de qualquer jeito, esse é o tipo de gente não “caçável”. Não adianta desejar, buscar e correr atrás. Amor é que nem câncer: aparece sem querer, num exame de rotina. Parece inofensivo e controlável, mas, às vezes, domina. Há quem cure, há quem morra e há ainda aquele que nunca nem descobre que ele esteve lá e habitua-se a não sentir nada.

Às vezes as pessoas especiais já são aquelas de anos, que sempre estiveram do nosso lado e a gente nem nota. Às, vezes, não. De repente o mundo anda mesmo uma porcaria, as pessoas cada dia mais burras, medrosas, cheias de neuroses, manias e problemas, complicando as relações que deveriam ser espontâneas. Em algum momento alguém disse que só o que é difícil e doloroso vale a pena e todo mundo resolveu por isso à prova. Sei lá. O amor verdadeiro e as pessoas especiais devem ser deliciosos, não maçantes. Num dá pra começar brigando, traindo, se enervando, negando, desistindo. Não dá pra ter amor com tanta prevenção, medo, preguiça. E também num dá pra ter amor só porque se deseja ter, tem gente que, por mais que a gente queira, não rola. Só de pensar em relacionar-se já dá vontade de sumir. E essas pessoas, infelizmente, são maioria: “se chove Xuxa no seu colo cai Pelé”. A vida é assim mesmo.

É difícil encontrar com alguém que fale com você na mesma língua. Que você tenha sintonia, risada fácil, que faça a vida se tornar um pouquinho melhor quando se está junto. Mas acontece. E o meu desejo a vocês, leitores, é que essa pessoa venha mais rápido do que se espera.

Você também pode ler

5 Comentários

  1. Acontece quando menos esperamos e quando estamos num momento de maior abertura pro mundo, pra vida. Acontece quando tem que acontecer.

  2. Quanta verdade em tão pouco espaço.
    É dificil achar alguém… acho que estamos todos com preguiça de extrair qualquer coisa de alguém.

    =*

  3. ……sabe quando vc procura em sites de relacionamento……no tinder…..na fila da padaria e do supermercado……na academia…..no trabalho……no curso de inglês…..no curso de dança…..no bar…..e de repente vc……desiste……hoje estou assim…….desisti……acho que realmente não adianta procurar e ficar lutando contra o destino……simplesmente pra mim não rola…….

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *