teoria de Kiko.

Não há nada que me irrite mais que ameaças; e pior, daquelas sem fundamento. A pessoa se acha tão importante e indispensável que recebe um tapa na cara e ainda revida: “você ainda vai se arrepender muito disso”. Pois bem, FO**-SE, que seja. Me permita o erro. Me permita o arrependimento. E caso eu me arrependa, azar o meu. Num é sua maldição que vai me fazer voltar atrás.

O Kiko, do Chaves, sempre dizia a célebre frase: “Cale-se, calese, cale-se, você me deixa louco!” Uma sabedoria. Às vezes aquilo que a gente mais precisa é esquecer de algumas coisas que se viveu. Que o outro se cale, o tempo passe, e a vida que se resolva. Fim.

Todo mundo, vez ou outra, comete um erro, faz bem. Quem disse que toda a atitude drástica é impensada? Um chega pra lá, às vezes se faz necessário, um grito exacerbado abre olhos, uma mensagem mal educada, por mais que quebre pernas por aí, põe os pingos nos “is”, organiza aquilo que estava insustentável. Saiba calar-se quando alguma coisa já deu o que tinha que dar. Tenha a dignidade de ser maior que uma decepeção, e, principalmente, não diga ao outro aquilo que ele irá ou não sentir – porque praga de urubu nunca pega em beija-flor.

É preciso ter decência tanto para chorar quanto para rir, é preciso saber engolir sapos às vezes, sem maldições, sem resmungos. Se o outro diz “me deixa”, deixe. Não há nada pior que chutar cachorro morto.

Os maiores arrependimentos que eu já tive na vida não foram avisados. Penso que se fossem, ainda assim, os teria cometido, e arrisco dizer que teria conseguido voltar atrás. Na vida, só a morte é impossível remediarmos, de resto, tudo se resolve.

E quer saber? Quando chegamos ao ponto de mandar algo ir embora é difícil querermos fazê-la voltar…

É triste, mas é isso.

Você também pode ler

9 Comentários

  1. Éricka, acho que é isso mesmo o que você disse: ter a dignidade de assumir que o que é bom acabou. Embora seja difícil, Éricka, mas assim é como ter que ser, né? Vivo esse momento justo agora, de dar adeus àquele que nunca quis que saísse da minha vida. E foi. Aliás, tá indo.
    O texto é adorável. Um beijo.

  2. e viva o bom e velho Foda-se!!
    aprovo o que vc disse
    e depois que deixei de querer agradar à todos, estou mto bem!
    Graças a Deus!
    =**

  3. Putz, se a gente for ficar pensando no que poderia ter acontecido se nao tivéssemos feito uma escolha enlouqueceríamos! hahahaha
    O lance é fazer o que tem vontade pra não se arrepender depois!
    E tem gente que perde o timing mesmo, né? Só quer o outro quando esse outro já desencanou! tsc tsc
    Bjs

  4. Inicialmente é muito difícil encararmos nossos erros como algo construtivo, mas logo que nos damos conta de todos os aprendizados que adquirimos com esses atos, tudo começa a fazer mais sentido.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *