para melhor.

Quem gosta, critica. Não tem jeito. Por isso que é tão fácil trair e tão doído depois, o arrepender-se. Na hora que ouvimos algo que realmente nos incomoda viramos bicho, até porque, a sinceridade realmente dói. Certo mesmo seria tentar amenizar a dor do outro com palavras mais suaves, mas nem sempre isso é possível. Quanto maior o envolvimento, mais intimidade e quanto maior intimidade, mais transparência.

Se você está aí, se perguntando porque diabos escolheu namorar fulano e não cicrano, saiba de uma coisa: é muito mais fácil, quando tudo está em crise, divertir-se com alguém que não te conhece, que só te vê pela superficilidade do primeiro encantamento e que deseja, acima de tudo, te conquistar. É realmente ruim ouvir da pessoa que amamos que precisamos emagrecer ou que a nossa alimentação é terrível. Que temos comportamentos destruitvos, ou somos viciados em alguma coisa. É chato sermos repreendidos por quem deveria nos admirar, levar aquele puxão de orelha quando estamos sendo fracos ou insensatos. Cansa, desgasta, reprime. Mas é o certo. Quer dizer, não exatamente CERTO, mas é uma das caras que o amor assume vez ou outra.

Sabe aquele papo de que o bom amigo não é aquele que apoia tudo o que você faz? Então, é mais ou menos assim em um namoro. É claro que o excesso de críticas indica que alguma coisa está errada: a gente não vê sentido em estar junto de quem só evidencia nossos defeitos; pense bastante antes de abrir a boca. Mas no amor, criticar, faz parte. Aliás, também é uma maneira meio torta de demonstrar sentimento. Quando não nos importamos com alguém, tanto faz o modo como essa pessoa age ou encara as coisas que acontecem. É melhor mesmo que faça tudo como convém, o que temos a ver com o modo que ela vive, não é?

Cheguei a conclusão, depois de muito me ofender com algumas verdades, que é bom ter alguém para nos trazer um pouco de razão quando estamos exagerando, por mais irritante que isso às vezes seja. E que o jeito é fazer aquela bela auto-análise e, se necessário for, ser alguém melhor. Nem sempre somos.

Você também pode ler

9 Comentários

  1. mto bom o texto
    e super concordo..
    mto bom ter algm pra equilibrar e nos limitar qdo extrapolamos
    mil beijinnhos
    kammy

  2. Oi, Ericka!
    Concordo plenamente com suas palavras. Ouvir críticas incomoda? Sim. Eu, por exemplo, odeeio ser criticada por minha mãe (mais que por minhas amigas), mas tenho plena consciência de que as críticas de pessoas que me amam de verdade são em geral construtivas e, embora não goste a princípio, vou levá-las em consideração, pois sei que essas pessoas querem o meu bem.
    Adorei o post!
    Beijinhos,
    Thaís

  3. Oi, linda!
    Tbm não tenho te visitado muito… Aliás, não tenho comentado, mas tô sempre aqui!!!
    Minha vida não anda fácil e não tenho tido muita coisa pra escrever… Mas o noo espaço aqui tá lindo!!! Adorei!
    Bjo =]

  4. Concordo, mas acho q as pessoas deveriam saber dosar a critica e o elogio…pq ngm eh perfeito e ngm eh 100% imbecil… =P
    ta…alguns casos 90% imbecil…mas enfim acho que tem q ter um meio termo na hora de criticar alguem… =)
    Bjussssssss

  5. De fato críticas são boas, mas vai muito da forma que são feitas também. Agora só ressaltando um ponto interessante…TODO MUNDO gosta de um elogio de vez em quando né! Não dá pra ser só crítica por melhor que seja haha! …mesmo que a melhora tenha sido parcial (:
    Beijãao

  6. Concordo muito!!!!
    Eu sou o tipo de pessoa que não queria ouvir nenhuma crítica, mesmo porque tenho tantas… Rs..
    Mas acho que as vezes não é só preciso, como necessário, e não tem pessoa melhor para te falar isso do que aquela que tá do seu lado e que te quer bem, né?

    Beijos.
    http://www.consumisse.blogspot.com

  7. Olha, alguém que me compreende!
    Vou fazer um email-corrente com esse email e disparar por aí.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *