Rebobinando…

Resolvi parar de viver de passado, mas a minha vida não quis assim.
É incrivel como vira e mexe a gente esbarra em algumas histórias que gostaria de esquecer ou que simplesmente nem conseguia mais lembrar.

E das palavras surgem também os sentimentos, vem tudo à tona, não tem como conter. É quase como mexer num vespeiro, sem qualquer medo de ser atacado, mesmo sabendo que cada uma das feridas vai doer – e muito – depois.

E quando não houve mágoa então? Nem traição? Nem reais envolvimentos? Piora tudo. A coisa fica com gosto de esperança. E se tudo desse certo? E se agora estivermos mais maduros? E se éramos pessoas certas, mas na hora errada?

Todas suposições sem fundamento. Ou melhor, fundamentadas em algo impossivel de controlar: nossos sonhos.

De ser feliz, de viver novos ares…Sabe se lá o que.

Simples assim.

Você também pode ler

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *